To edit the Wiki, please login with the same username and password as WME and the forum. Visit the forum for editing guidelines and discussions.

Guia de Normalizacao de Portugal

From waze
Jump to: navigation, search
Waze Portugal.png Voltar à página inicial
New ap icon red.png
As recomendações abaixo indicadas são baseadas na experiência contínua de edição e condução, recomendações espalhadas pelo wiki e pelos fóruns, e informação obtida ou subentendida por comentários de utilizadores, editores e por vezes mesmo dos responsáveis pelo Waze, portanto poderá haver a necessidade futura de melhoramentos e ajustes nestas recomendações caso se descubra informação nova, ou se tome alguma decisão, em thread própria no fórum, por comum acordo da comunidade Portuguesa.

Bom Senso

Usabilidade: quando se trata de editar o mapa, primeiramente deve-se lembrar que o objectivo da edição do mapa é disponibilizar ao condutor um mapa fácil e simples de navegar num dispositivo de ecrã pequeno, e gerar instruções textuais e verbais correctas e somente quando for necessário.

Simplicidade: o objectivo não é modelar uma via como ela é realmente na imagem de satélite. Fazendo isso geralmente leva a uma complexidade desnecessária tornando a navegação complicada e a manutenção do mapa muito complicada.

Coerência: ver também: [Normas do Brasil], [Práticas do Brasil], How Waze Calculates Routes.

Normalização do Tipo de Estrada (Segmentos)

O Tipo de Estrada deve ser escolhido com base nos seguintes princípios:

  • diferenciar o tipo real de estrada - Autoestrada, Nacional, Municipal, estrada dentro de localidade (principal ou secundária), estacionamentos, acessos privada ou via de acesso proibido a veículos.
  • ao visualizar o mapa, as vias mais importantes devem ser exibidas nos níveis de zoom mais elevado.
  • em rotas grandes, dar prioridade a vias mais importantes em detrimento de vias menores.
  • permitir rotas alternativas às autoestradas, em rotas com mais de 10 km.

Regras:

  • Todas as autoestradas, e apenas essas, deverão ser marcadas como "Autoestradas", incluindo vias ainda reconhecidas publicamente como ICs. Ver [lista de Auto-Estradas].
  • A maioria das estradas nacionais e municipais, incluindo IPs e ICs sem nomenclatura de nacional (mas que não sejam autoestrada), e que interliguem localidades, deverão ser marcadas como "Highways" em todo o seu trajecto.
  • A maioria das estradas nacionais, IP e ICs principais que interliguem as regiões sem autoestradas e que sejam alternativas às autoestradas deverão ser marcadas como "Major Highway".
  • A maioria das estradas municipais deverão ser marcadas como "Minor Highway".
  • Excepção: as estradas nacionais que tenham como alternativas viáveis outras Nacionais e sejam de má qualidade ou não recomendadas deverão ser mantidas como "Minor Highway".
  • Excepção: as estradas nacionais (geralmente Nxxx-y antigas) ou Municipais que tenham alternativas viáveis e sejam de má qualidade deverão ser mantidas como "Primary".

Autoestradas

  • Tipo de estrada: "Autoestrada" [Freeways]
  • Dois segmentos paralelos com sentido único.
  • Lateralmente interliga apenas com acessos a autoestradas [ramps], e nas pontas pode interligar com qualquer tipo de estrada pertencente ao grupo "Rede nacional" [Highways].
  • O campo "Localidade" deverá estar sempre vazio.
  • O campo "Rua" deverá incluir o nome da autoestrada, os nomes alternativos (IP/IC) caso existam, e os nomes das estradas europeias caso existam.
  • A ordem dos nomes deverá ser por omissão "Axx / Exx / IPxx / ICxx ", devendo-se alterar a ordem colocando primeiro os nome mais conhecido da via. Exemplo: "A5 / IC15", "IC19 / A37", "V. do Infante / A22 / E01 / IP1"
  • Cada direcção deverá ter o sentido N/S ou E/O da maioria da via, dentro de parêntesis, podendo ser usado dois pares diferentes caso a autoestrada mude claramente de direcção. Exemplos: a A23 é um "L" invertido e muda de "A23 O/E" para "A23 N/S".
  • Todos os segmentos incluídos numa rota com portagem, idealmente desde o primeiro segmento que já não permita sair antes da portagem, até ao ultimo segmento antes de uma entrada nova, deverão ser marcados com "Portagem" e ter no campo de "Rua" o prefixo "€".
  • Peso relativo no cálculo de rotas, sem contar com outras variáveis: 100

Acessos a autoestradas

O tipo de segmento "Acesso" [ramps] deverá ser usado para interligar grandes vias e para ajudar nas instruções de mudança de direcção pois permitem ter um texto no campo "Rua" com uma instrução textual e vocal mais complexa sem poluir o mapa, que não mostrará esse texto. Devem ser usadas sempre que se deseje uma instrução explicita de "Acesso a xxx" em vez de apenas reportar o nome da próxima via.

Regras:

  • Todas as autoestradas (freeways) devem interligar lateralmente apenas com acessos.
  • Nas autoestradas, todas as zonas laterais de áreas de serviço e zonas de descanso devem ligar a autoestrada com segmentos do tipo "Acesso" [ramps], e depois com segmentos do tipo "Estacionamento". Caso a ligação da autoestrada seja com outro tipo de estrada que não "Acesso", aparecerá a instrução "mantenha-se à direita" quando se saí da autoestrada, em vez de uma "saia à direita", o que não é desejável.
  • Todas os acessos da autoestrada deverão ter o campo "Localidade" sem nome ("Não tem" seleccionado).
  • Todas os acessos deverão dizer "Acesso xxx", sejam entradas, saídas ou acessos entre vias rápidas, e onde xxx é a informação o mais aproximada possível em relação às placas informativas no local. Evitar adicionar mais informação que a presente nas placas e seguir a ordem de cima para baixo.
  • Usar "," (virgulas) para fazer pausas no TTS e separar palavras e tornar mais claro a instrução. Exemplo: "Acesso 2A, Ax, Localidade1, ICy, Localidade2, Localidade3".
  • Utilizar a abreviatura "Ac." disponível no quadro de abreviaturas.
  • Todas os acessos de saída de autoestradas devem conter o número da saída, quando existente. Exemplo "Ac. 2, Localidade1".
  • Os acessos de saída de vias com mais de uma faixa devem ter o nó de junção antes de qualquer traço contínuo que proíba a saída, mesmo que o nó fique bastante atrás da faixa de desaceleração real.
  • Caso o traço continuo só inicie depois do inicio da faixa de desaceleração o nó de junção deve ser posicionado entre a placa informativa e o inicio da faixa de desaceleração.
  • No caso de autoestradas em que a faixa da direita é usada para saída e entrada e contêm um traço contínuo entre a primeira e a segunda faixa a contar da direita, deve-se criar um acesso ao longo dessa faixa toda, desde o inicio do traço continuo até ao fim, para forçar o encosto à faixa da direita no sítio certo, e desse acesso criar outro acesso no local exacto de saída. No caso de haver uma entrada (antes ou depois), todos os sentido de circulação deverão estar permitidos (setas verdes). Caso essa rampa seja só de saída, uma ou mais, o nó final de ligação à autoestrada deverá estar com seta a vermelho para evitar qualquer rota via esse acesso.
  • Peso relativo no cálculo de rotas, sem contar com outras variáveis: 65

IP / IC / Estradas nacionais e Municipais

  • Tipo de Estrada: [Major Highway] para as IP/IC/ Estradas nacionais principais, [Minor Highway] para estradas nacionais secundárias e estradas municipais.
  • IC/IP aqui aplica-se apenas às vias que não são autoestrada
  • O campo "Localidade" deverá estar vazio fora das localidades, podendo ter o nome da localidade nos segmentos dentro dela.
  • Não é necessário incluir no campo "Rua" o nome da Estrada nacional e IC/IP. Deve-se sim usar o nome alternativo, deixando, neste caso, o campo cidade inactivo.
  • Dentro de localidades pode-se usar o nome da rua seguido do nome da nacional. Exemplo: "Av. xxx / Nyy"
  • Deve-se usar dois segmentos paralelos no caso de vias rápidas [Major Highway] importantes, na sua totalidade multi-faixa e com separador central. Exemplos: "IP7/Eixo Norte-Sul", "Segunda Circular".
  • Evitar ao máximo usar dois segmentos paralelos com sentido único em pedaços da via, mesmo que tenha separador central. Exemplos a evitar: dois segmentos independentes entre duas rotundas, mesmo com separador; Divisão de um para dois segmentos em entroncamentos com separador central;
  • Peso relativo de [Major Highways] no cálculo de rotas, sem contar com outras variáveis: 75
  • Peso relativo de [Minor Highways] no cálculo de rotas, sem contar com outras variáveis: 65

Outras estradas fora de localidades

Estradas fora de localidades que não interliguem localidades (geralmente não são estradas nacionais nem municipais) geralmente têm menos de 10 Km e portanto não afectam o cálculo de rotas grandes pois a rota nunca irá passar por elas, a menos que obviamente termine lá.

  • Tal como outras estradas fora de localidades, todas deverão ter o campo "Localidade" em branco, a menos que se deseje criar uma "city area" delimitando a zona, mesmo não sendo uma localidade. Exemplos: marcando os segmentos de estacionamento junto à praia com o nome da praia cria uma area e label com o nome da praia.
  • Caminhos de terra batida que dêem acesso a casas particulares ou apenas atravessem terrenos devem ser marcadas como "4x4 Offroad"
  • Estradas de terra batida que dêem acesso a locais público relevantes e que sejam conduzíveis por carros normais mesmo no inverno deverão ser mantidas como "street", para que apareçam no mapa. Exemplos: estradas de terra de *acesso autorizado* a praias. Nota: os pedaços de terra batida "não autorizados" deverão ou ser apagados, caso seja estritamente proibido (exemplo: dunas), ou mantido como "4x4 offroad" caso seja normal arriscar passar por lá (exemplo: norte de Vila Nova de Milfontes)
  • Estradas privadas com portões de acesso por exemplo a terrenos privados ou industria e que sejam de uso geral, podem ser mantidas como "Acesso privado", ou caso não seja mesmo possível entrar, deverão ser apagadas. Exemplo: zona da Brisa/GNR em São Domingos de Rana é privado (inclusive pago), mas é acessível para empregados e para o publico em geral que visite a loja da Brisa.
  • Estradas relevantes que liguem as Nacionais e Municipais a sítios interessantes poderão ser marcadas como "Primary", para salientar o acesso ao local em relação a outras estradas apenas de acesso local.

Estradas dentro de Localidades

  • Em rotas curtas (< 10 km) ou rotas longas nos primeiros e últimos 10 km, todo o tipo de estrada será utilizado para o cálculo da rota.
  • Segmentos do tipo "Rua principal" e "Rua secundária" têm o mesmo peso em termos de rota, mas deve-se usar o tipo "Rua principal" para salientar no mapa a malha principal de circulação na localidade.
  • Segmentos do tipo "Acesso privado" e "Estacionamento" não serão utilizados para a rota, a menos que a rota comece ou termine num deles. O mesmo acontece para os segmentos do tipo "Caminho de terra", se tiver a opção "Evitar caminhos de terra" activa no seu dispositivo.
  • Segmentos de um tipo pertencente ao grupo dos "Não conduzíveis" não deverão ser utilizados para a rota, por isso devem ser desligados dos segmentos conduzíeis de forma a evitar qualquer erro no cálculo de rotas.
  • Deve-se evitar o uso de tipo de estradas do grupo "Rede nacional" [highways] dentro de maioria das localidades, mesmo no caso de serem troços com duas faixas independentes para cada lado. Deve-se usar apenas o tipo "Rua principal". A excepção a este caso são vias rápidas usadas para atravessar a localidade e que não sejam estradas nacionais, municipais, ou IPs/ICs. Em caso de dúvida, considerar se a via pode ser utilizada para atravessar a localidade e pode ser usada como alternativa à estrada nacional. No caso de localidades grandes, é no entanto recomendado usar o [Minor Highways] nas vias principais que atravessam a localidade ou nas circulares à volta.

Regras:

  • Todos os segmentos acessíveis ao publico deverão ser "Rua principal" ou "Rua secundária".
  • Usar o tipo "Estacionamento" apenas em parques públicos, grátis ou pagos, e dentro dos postos de combustível e áreas de serviço/descanso. Nunca usar "Estacionamento" em estradas de estacionamento de prédios privados.
  • Usar o tipo "Acesso Privado" apenas em estradas geralmente não acessíveis ao público em geral, mas acessíveis apenas em casos particulares. Exemplos: estradas internas de empresas (sem cancela ou portão), estradas com "Sentido Proibido excepto a moradores" ou "excepto a cargas e descargas"
  • Os segmentos "Trilho pedestre", "Via pedestre", "Escadaria", "Linha ferroviária", "Pista de Avião" deverão estar desligados dos segmentos conduzíveis.
  • Vias de Bus para ambos os lados deverão estar geralmente marcados como "Rua secundária" e com uma restrição a todos os veículos excepto transportes públicos e táxis. (Ver Restrições [EN])
  • Vias de Bus em apenas um dos lados deverão ser mantidos com um tipo de estrada adequado à situação e com uma restrição, no sentido da via de Bus, a todos os veículos, excepto transportes públicos e táxis.
  • Peso relativo de "Rua Principal" e "Rua Secundária" no cálculo de rotas, sem contar com outras variáveis: 30

Normalização do Desenho de Estrada/Segmentos

O desenho dos segmentos no waze devem seguir os princípios:

  • ser optimizados para obter as indicações mais correctas possível
  • manter o mapa o mais simples possível sem comprometer indicações nem rotas
  • posicionar os segmentos no local correcto, assumindo sempre uma possível margem de erro nas imagens de satélite (ver histórico de GPS)
  • nunca seguir literalmente o que se vê nos mapas de satélite. As imagens podem estar desactualizadas, mostram detalhes que não são relevante quer para as indicações do waze, quer devido à margem de erro do sistema de GPS.
  • Evitar uma quantidade excessiva de nós geométricos por segmento na tentativa de desenhar todos os pequenos ângulos e curvas da via. Ter em atenção que quantos mais nós, mais tráfego de dados e esforço computacional irá existir, o que é parcialmente colmatado pelo servidor que extrapola uma versão mais simples do segmento e ignora a maioria dos nós geométricos a curta distância.

Rotundas

Ver também: Roundabout

As rotundas têm sido os casos mais problemáticos no nosso país, quer pela quantidade abismal de rotundas existentes, quer por pequenos erros de edição. Para garantir rotundas correctas, deve-se respeitar a seguinte informação e regras:

  • Rotundas com 2, 3 ou 4 segmentos podem e devem ser configuradas de forma às instruções serem "continue em frente/vire à esquerda/vire à direita" sempre que a configuração da rotunda faça sentido. Ver Understanding Navigation Instructions
  • Rotundas com mais de 4 segmentos dirão sempre "saia na x saída", portanto é importante que todas as entradas e saídas existam e estejam bem configuradas para que o número da saída esteja correcto.
  • No caso de rotundas com segmentos sem saída (exemplo: estradas ainda não abertas ao público, com barreiras), é preferível manter um pequeno segmento para que o número de saídas esteja correcto.
  • Ter em atenção que um segmento de sentido único a terminar na rotunda não conta como saída, o que poderá confundir o cálculo do número de saída quando se está a conduzir.

Regras:

  • Nunca criar os Y/triângulos de entrada e saída da rotunda, principalmente em rotundas médias e pequenas e com triângulos de pequena dimensão. Os Y/triângulos podem ser usados apenas em rotundas onde o triângulo seja de grande dimensão (mais de 10 m) e que tenha mais de 4 vias.
  • Caso a rotunda existente não seja redonda, ou esteja muito fora do sítio, ou precise de muita edição para remover os triângulos, ou tenha qualquer erro que não seja identificável, o mais seguro é apagar a rotunda e respectivos triângulos e refazer de novo.
  • No caso de rotundas com 2, 3 ou 4 segmentos, em que os segmentos sejam quase perpendiculares entre si - ou mesmo que não sejam 90º, que faça sentido que as instruções sejam frente/esquerda/direita, apagar a rotunda, ligar os 2/3/4 segmentos entre si, ajustar os ângulos entre os segmentos para que o nó central esteja o mais possível no centro da rotunda mas os segmentos podem não corresponder (ainda) à estrada visível nas imagens de satélite, desenhar a rotunda com a dimensão suficiente para ficar a meio da via (exemplo: 2 faixas, a rotunda deverá sobrepor a linha central), e gravar. De seguida ajustar os segmentos para ficarem mais alinhados com as imagens de satélite, mesmo que o ângulo entre o segmento e a rotunda fique muito fechado. De seguida seguir as regras comuns abaixo.
  • No caso de rotundas com mais de 4 segmentos, cada nó poderá ficar alinhado com as imagens de satélite.
  • Os segmentos da rotunda não deverão ter nome de street. Caso a rotunda tenha um nome, deve-se criar um local do tipo "rotunda/nó rodoviário" dentro da rotunda e adicionar o nome da rotunda.
  • Toda a rotunda deverá ter a mesma elevação, nunca com segmentos com elevações diferentes. Seleccionando toda a rotunda, na coluna esquerda onde tem "Elevação" deverá estar um número ou geralmente a designação "Solo", nunca "multi".
  • Toda a rotunda deverá estar com a mesma direcção. Seleccionando toda a rotunda, na esquerda deverá dizer "A->B", nunca "B->A" nem "multi".
  • Caso uma rotunda tenha um segmento invertido (B->A), ver um truque abaixo para inverter o sentido, ou para precaver, recriar a rotunda de novo.
  • Nunca criar rotundas de terminação de estradas sem saída, ou seja, rotundas com apenas um segmento ligado. Ver What is a roundabout and what is not.

Entroncamentos e Cruzamentos

No desenho de entroncamentos e cruzamentos é importante desenhar o mínimo de segmentos necessários para obter as instruções correctas e nunca desenhar todas as combinações visíveis no mapa de satélite.

  • Em entroncamentos com duas vias de entrada e saída, evitar desenhar as duas vias e simplesmente ligar as duas estradas principais na perpendicular (em formato de T), centradas no meio das duas entradas. Excepção são os casos onde hajam traços contínuos que forcem a entrada vários metros atrás da mudança de direcção, ou caso os dois segmentos estejam realmente bastante afastados.
  • Em entroncamentos com 4 vias de entrada e saída, evitar desenhar a árvore completa com os 6 segmentos adicionais, usando apenas a solução simples de ligar a estrada que entronca à estrada principal, ou no caso de traços contínuos, três segmentos, um de entrada, um de saída, e o do meio com ambos os sentido de direcção, tendo em atenção as setas vermelhas e verdes de cada segmento.
  • Todos os entroncamentos deverão ser desenhados tendo o nó com os segmentos na perpendicular, e nunca com um ângulo menor ou igual 45º. Um ângulo pequeno poderá adicionar uma indicação "mantenha-se à esquerda/direita", em vez de "Vire á esquerda/direita".
  • Ter em atenção que o uso de três ou seis segmentos para entroncamentos poderá causar vários erros e indicações do tipo "mantenha-se à direita e depois mantenha-se à esquerda e depois vire à esquerda", etc...

Dois Sentidos vs. Duas Estradas

  • O uso de duas estradas com um sentido deve ser evitada ao máximo excepto nos casos abaixo.
  • Autoestradas devem ser duas estradas com um sentido pois é habitual haver zonas onde um dos sentidos distancia-se do outro, principalmente em zonas montanhosas. Torna também muito mais simples a gestão das rampas de entrada e saída porque não existirão setas vermelhas a confundir o mapa.
  • Estradas onde exista uma faixa no meio para viragem à esquerda, com traço continuo relevante. Sem traço contínuo é preferível evitar de todo as duas estradas e o segmento adicional para a faixa de viragem à esquerda.
  • Estradas onde exista uma faixa no meio para inversão de marcha. Dependendo da distancia entre as estradas, tentar fazer a separação em duas faixas apenas o suficiente para poder desenhar a inversão de marcha.
  • Estradas onde exista uma distância realmente grande entre elas, e apenas depois de confirmar com o histórico de GPS que essa distância existe na prática. Uma regra simples é manter o zoom em escala de 20 metros/200 pés e verificar se as duas vias não ficam encostadas e existe separação entre elas. Existindo separação mantenha-as separadas, senão, une-as.
  • Ver também: [Quando não separar uma via de mão dupla / Brasil]

Indicações de mudança de direcção

Nota: as indicações "Vire/Saia/Mantenha-se" são dependentes de várias condições, portanto é favor reler o parágrafo inicial desta página. Este segmento contem maioritariamente conjunturas pois há demasiados casos de segmentos iguais com instruções diferentes e vice-versa e portanto têm sido complicado obter uma lista de regras que explique exactamente quando e porquê uma instrução ocorre.

Regras:

  • Nos segmentos do tipo "Acesso a autoestrada", garantir que o ângulo entre o segmento da Autoestrada e do acesso, no caso das saídas, esteja entre os 20º e os 30º, para que a indicação seja "Saia à direita" e nas entradas um ângulo entre os 10º e os 15º com o ultimo nó geométrico posicionado sobre a cedência marcada no piso (inicio da via de aceleração).
  • No caso de acessos duplos (ver "Acesso a autoestradas acima), a segunda indicação será "mantenha-se à direita".
  • No caso de estradas que não devam dizer nada seguindo em frente o nome do segmento antes e depois deverá ser o mesmo e o ângulo entre os dois segmentos inferior a 45º.
  • Para mudanças de direcção, há duas soluções: colocar a outra via perpendicular (mais que 45º) para que diga "vire"; ou usar um ângulo inferior a 45º para que diga "mantenha-se", no caso dos segmentos antes e depois pertencerem a um tipo de estrada do mesmo grupo, isto é "Rede nacional" [highways] ou "Rede Urbana", ou então o "saia" se os segmentos tiveram uma tipologia de grupos de redes diferentes.
  • Portanto nas Autoestradas qualquer ligação lateral a menos de 45º com qualquer tipo de estrada que não seja um acesso irá dizer "mantenha-se à esquerda" quando se segue em frente. Por isso, com base na regra referidas anteriormente, todas as ligações laterais de autoestradas deverão ser do tipo "Acessos aautoestradas", mesmo para as Áreas de Serviço.

Portagens

Todos os segmentos que se tenha de pagar para circular neles deverão ser marcados com "Portagem".

  • Nas autoestradas, a primeira fase, logo que possível, é garantir que os segmentos no local da portagem estão com a opção "Portagem" activada.
  • De seguida, marcar todos os segmentos pagos de autoestrada e respectivos acessos de entrada e saída, desde os primeiros troços em que não dá para sair mais sem pagar, até aos últimos troços em se possa entrar sem pagar.
  • Criar "local (Área)" tipo "Transportes" em cima das praças e pórticos de portagens e de forma a cobrir toda a praça de entrada da portagem, para que fique maior e mais visível no cliente.
  • Todos os segmentos de autoestrada que sejam marcados com "Portagem" deverão ter o prefixo "€", para que sejam distinguíveis dos troços grátis, e para evitar erros de edição caso se use a opção "selecionar toda a estrada".

Radares

  • De acordo com as regras oficiais do Waze, apenas radares com câmeras são considerados radares.
  • Radares "Fake" não deverão ser utilizados. Não existem em Portugal por agora.
  • Radares "Red Sign" não deverão ser utilizados, pois pela informação obtida até ao momento, não existem câmeras nos sinais vermelhos em Portugal.
  • Radares "Radar" deverão ser utilizados apenas onde realmente existem radares com câmera fixos. De momento, pela informação obtida pela Internet, existem 22 radares em Lisboa, 1 no Cacém, 1 no Algarve, e falta confirmar os radares de Santarém para Norte.
  • [Tudo sobre radares no Fórum]
  • [Wiki geral sobre Cameras]

Normalização do Nome de Estrada (Segmentos)

Ter em atenção que segmentos sem nome de "Localidade" nem "Rua" (nem que seja a caixa "não tem" activa), ou seja, que aparecem vermelhas no mapa, não serão consideradas válidas para entrarem na actualização do mapa. Em caso de dúvida, é preferível deixar os campos em vazios, com o "não tem" seleccionado.

Nomes de Ruas

O campo "Rua" é usado para reportar visualmente e vocalmente (com TTS activo) a rota a percorrer e as direcções a tomar. Por questões de espaço no cliente dever-se-á tentar usar abreviações suportadas pelo TTS. Seguir a lista de abreviações abaixo. É importante tentar manter a via com o nome da "Rua" e "Localidade" coerente, a menos que a via atravesse uma fronteira de localidade.

Regras:

  • Autoestradas dever-se-ão chamar "Axx", seguido de potenciais variações de "IPxx", "ICxx", e seguido de "Exx". Caso a Autoestrada ainda seja conhecida pelo IC ou IP, pode-se inverter a ordem e usar "IP/ICxx / Axx / Exx". Caso a Auto-Estrada seja conhecida por nome próprio, pode-se usar "Nome / Axx / ...". Exemplo: usar apenas "A1" e "A2", evitando "Autoestrada do Norte" e "Autoestrada do Sul", mas estradas mais recentemente convertidas em autoestrada pode-se por exemplo usar "V. do Infante / A22". Esta regra é semelhante ao caso da "IC19 / A36".
  • Estradas nacionais dever-se-ão chamar "Nxxx" e "Nxxx-y". Caso a nacional pertença a um IC ou IP, ambos deverão ser usados, sendo usado primeiro o nome mais conhecido na região (regra: ver as placas ao longo da estrada)
  • Estradas nacionais que sobrepõe várias nacionais deverão conter ambos os nomes, usando a mais importante primeiro, ou ordenado numericamente. Exemplo quando a N8 se junta com a N116, e mais tarde voltam-se a separar, esse troço pode-se chamar "N8 / N116"
  • Estradas municipais dever-se-ão chamar "Mxxx"
  • Estradas nacionais e municipais que tenham nome próprio, mesmo fora de localidades, dever-se-ão chamar "Nome Estrada / Nxxx"
  • Segmentos com nome próprio deverão usar abreviações de acordo com a lista abaixo.
  • Quando a denominação da via homenageie pessoas, deve-se suprimir a partícula de ligação e "encostar" o nome à identificação do tipo de via. Exemplo "R. Luís de Camões".
  • Quando a denominação da via refere a presença (actual ou histórica) de algo, ou pertença da rua pela localidade, deve-se manter a partícula de ligação. Em caso de dúvida, ler a frase em voz alta. Exemplo: "R. do Seminário", "Tv. da Fonte", "Est. de Alfragide", "R. dos Bombeiros Voluntários".
  • Caso o nome seja demasiado grande e haja parte que seja redundante, pode-se retirar a redundância. Exemplo "R. dos Bombeiros Voluntários de Carnaxide", em Carnaxide, pode ficar apenas "R. dos Bombeiros Voluntários".

Nomes de Localidades

O campo "Localidade" é usado para criar e mostrar as manchas com o nome da localidade. Neste momento ainda não é muito usado para a procura de endereços, pois a procura por omissão parece ser efectuada preferencialmente no Google em conjunto com a própria base de dados do Waze. Assim sendo, a regra base para definição do campo "Localidade" é que seja coerente o suficiente para criar zonas de "city area" correctas, cobrindo apenas a localidade e evitando nomes diferentes na mesma localidade para não criar sub-áreas onde não existem.

Regras:

  • Todas as estradas fora de localidades não deverão ter Localidade (caixa "não tem" activa)
  • Todas as autoestradas [freeways] ao cruzarem localidades *não* devem ter o nome da localidade.
  • Todas as outras estradas da "Rede nacional" [Highways] que cruzam a localidade deverão seguir uma das seguintes duas regras: ou mantém a nomenclatura fora da localidade (exemplo "Nxxx") e mantém sem localidade, ou em alternativa poderão mudar de nome para o nome da estrada dentro da localidade, seguindo da nomenclatura fora da localidade, podendo aí conter o nome da localidade no campo city (exemplo: "Av. xyz / Nabc"). Mantendo esta coerência de street e city permite o máximo possível de segmentos de uma vez.
  • O campo "Localidade" deverá conter sempre que possível APENAS o nome da localidade, sem freguesias ou concelhos.
  • No caso de localidades com várias freguesias (exemplo Lisboa, Coimbra, Porto, etc.) dever-se-á usar a nomenclatura "Localidade (Freguesia/Lugar)". Exemplo: "Lisboa (Campo Grande", "Lisboa (Parque das Nações)", "Coimbra (Almedina)", "Coimbra (Celas)". Reparar que a divisão é feita com as antigas freguesias e apenas com lugares de grandes dimensões que se destingem facilmente dentro da cidade.
  • No caso de localidades repetidas pelo país, o Waze irá dar erro referindo que "o segmento está demasiado distante da localidade...". Nestes casos dever-se-á usar algo que distinga a localidade, tendo em especial atenção a nomenclatura usada na região. Exemplos: localidades oficialmente chamadas "Conceição", mas que geralmente são "da localidade próxima", exemplo "Conceição da Abóboda", "Conceição de Tavira". Noutros casos de colisão/conflito entre dois nomes no Waze, usar algo genérico e curto, geralmente a freguesia/concelho ou parecido. Exemplo: "Mata (Arazede)", "Mata (Tamengos)", "Carvalhal (Alentejo)", etc.
  • Caso existam bairros bem definidos - regra geral existe a presença de placas sinalizadoras com o nome do bairro - poder-se-á isolar essas áreas, atribuindo aos segmentos relevantes a nomenclatura "Bairro xyz". Exemplo: "Bairro do Ingote", "Bairro do Furadouro", "Mira Oàsis" "Quinta Grande". Em caso de colisão/conflito no nome com outro já existente, deve-se aplicar a regra anterior.

Abreviações para nomes de ruas

Existem dois tipos de indicações faladas, o padrão em português de Portugal ou outras línguas usado pelas indicações normais ("na rotunda", "vire à direita", "mantenha-se à esquerda", etc.), e o TTS (em português do Brasil) usado para indicar adicionalmente o nome das ruas. Como tal, este sistema é capaz de ler os nomes inseridos nos segmentos do editor de mapas, o que permite indicações mais claras e precisas durante a condução.

Para evitar nomes de ruas muito extensas foram definidas algumas abreviações que podem ser utilizadas na edição dos nomes de rua. Sendo o sistema TTS (Text-To-Speech) capaz de ler essas abreviaturas desde que sejam respeitadas as regras da lista de abreviações.

Sempre que não existir uma abreviatura deve ser utilizada a expressão por extenso. Por uma questão de normalização, deve ser sempre utilizada a primeira variante da abreviatura que abaixo se apresenta. Exemplo: 'Av.' em vez de 'av.' ou 'Av'

Confirmados

Extenso Abreviação A evitar TTS Nota
Acesso Ac. ac. / Ac / ac PT Tipo de artéria
Alameda Al. al. PT Tipo de artéria
Avenida Av. av. / Av / av PT Tipo de artéria
Azinhaga Az. az. PT Tipo de artéria
Beco Bc. bc. PT Tipo de artéria
Bairro Br. br. / Br / br PT Tipo de artéria
Calçada Cç. Calç. / cç. / Cç / Cc. / PT Tipo de artéria
Calçadinha Cçnh. - PT Tipo de artéria
Caminho Cam. cam. / Cam / cam PT Tipo de artéria
Escadas Esc. - PT Tipo de artéria
Escadinhas Escnh. - PT Tipo de artéria
Estrada Est. / Estr. - PT Tipo de artéria
Jardim Jrd. - PT Tipo de artéria
Ladeira Lad. - PT Tipo de artéria
Largo Lg. - PT Tipo de artéria
Parque Pq. - PT Tipo de artéria
Pátio Pto. - PT Tipo de artéria
Ponte Pte. - PT Tipo de artéria
Praça Pç. - PT Tipo de artéria
Praceta Pct. - PT Tipo de artéria
Quinta Qta. / Qt.ª - PT Tipo de artéria
Rotunda Rot. - PT Tipo de artéria
Rua R. - PT Tipo de artéria
Travessa Tv. - PT Tipo de artéria
Urbanização Urb. - PT Tipo de artéria
Variante Var. - PT Tipo de artéria
Via V. - PT Tipo de artéria
Viaduto Vd. - PT Tipo de artéria
Viela Ve. - PT Tipo de artéria
Zona Zn. - PT Tipo de artéria
Direita Dir. - PT Detalhes da artéria
Esquerda Esq. - PT Detalhes da artéria
Municipal Mun. - PT Detalhes da artéria
Projetada Proj. - PT Detalhes da artéria
Marginal Marg. - PT Detalhes da artéria
Transversal Tranvs. - PT Detalhes da artéria
Alferes Alf. - PT Títulos honorários
Almirante Alm. - PT Títulos honorários
Arcebispo Arceb. - PT Títulos honorários
Arquitecta Arqa. / Arq.ª - PT Títulos honorários
Arquitecto Arq. - PT Títulos honorários
Aspirante Asp. - PT Títulos honorários
Barão Bar. - PT Títulos honorários
Baronesa Bara. / Bar.ª - PT Títulos honorários
Bispo Bpo. - PT Títulos honorários
Brigadeiro Brig. - PT Títulos honorários
Cadete Cad. - PT Títulos honorários
Capitão Cap. - PT Títulos honorários
Cardeal Card. - PT Títulos honorários
Comandante Cmdt. - PT Títulos honorários
Comendador Comend. - PT Títulos honorários
Comodoro Com. - PT Títulos honorários
Conde Cd. - PT Títulos honorários
Condessa Cda. / Cd.ª - PT Títulos honorários
Cónego Cón. - PT Títulos honorários
Conselheiro Cons. - PT Títulos honorários
Cônsul Côns. - PT Títulos honorários
Coronel Cor. - PT Títulos honorários
Dom D. - PT Títulos honorários
Dona Da. / D.ª - PT Títulos honorários
Doutor Dr. - PT Títulos honorários
Doutora Dra. / Dr.ª - PT Títulos honorários
Duque Dq. - PT Títulos honorários
Duquesa Dqa. / Dq.ª - PT Títulos honorários
Embaixador Emb. - PT Títulos honorários
Enfermeira Enfa. / Enf.ª - PT Títulos honorários
Enfermeiro Enf. - PT Títulos honorários
Engenheira Enga. / Eng.ª - PT Títulos honorários
Engenheiro Eng. eng. / Eng / eng PT Títulos honorários
Frei Fr. - PT Títulos honorários
Furriel Fur. - PT Títulos honorários
General Gen. - PT Títulos honorários
Grã-Duquesa GDqa. / GDq.ª - PT Títulos honorários
Grão-Duque GDq. - PT Títulos honorários
Imperador Imp. - PT Títulos honorários
Imperatriz Impz. - PT Títulos honorários
Infanta Infa. / Inf.ª - PT Títulos honorários
Infante Inf. - PT Títulos honorários
Júnior Jr. - PT Títulos honorários
Major Maj. - PT Títulos honorários
Marechal Mar. - PT Títulos honorários
Marquês Mq. - PT Títulos honorários
Marquesa Mqa. / Mq.ª - PT Títulos honorários
Monsenhor Mons. - PT Títulos honorários
Nosso Senhor N. Sr. - PT Títulos honorários
Nossa Senhora N. Sra. / Na. Sra. / N.ª Sr.ª - PT Títulos honorários
Padre Pe. - PT Títulos honorários
Patriarca Patr. - PT Títulos honorários
Presidente Pres. - PT Títulos honorários
Professor Prof. - PT Títulos honorários
Professora Profa. / Prof.ª - PT Títulos honorários
Reitor Rt. - PT Títulos honorários
São S. - PT Títulos honorários
Santa Sta. / St.ª - PT Títulos honorários
Santo Sto. - PT Títulos honorários
Sargento Sarg. - PT Títulos honorários
Senhor Sr. - PT Títulos honorários
Senhora Sra. / Sr.ª - PT Títulos honorários
Soldado Sol. - PT Títulos honorários
Tenente Ten. - PT Títulos honorários
Vereador Ver. - PT Títulos honorários
Visconde Visc. - PT Títulos honorários
Viscondessa Visca. / Visc.ª - PT Títulos honorários
Cidade Cid. - PT Tipo de povoação
Vila Vl. - PT Tipo de povoação
Lugar Lug. - PT Tipo de povoação
Associação Ass. - PT Estabelecimentos
Fábrica Fáb. - PT Estabelecimentos
Fundação Fund. - PT Estabelecimentos
Instituto Inst. - PT Estabelecimentos
Ministério Min. - PT Estabelecimentos
Sociedade Soc. - PT Estabelecimentos
Universidade Univ. - PT Estabelecimentos
Norte (N) - PT Pontos cardeais
Sul (S) - PT Pontos cardeais
Este (E) - PT Pontos cardeais
Oeste (O) - PT Pontos cardeais
Nordeste (NE) - PT Pontos cardeais
Noroeste (NO) - PT Pontos cardeais
Sudeste (SE) - PT Pontos cardeais
Sudoeste (SO) - PT Pontos cardeais
Norte-Sul N-S - PT Abreviação para o Eixo Norte-Sul

Numeração Romana

A numeração romana funciona em algumas situações, mas sem regras ainda bem conhecidas:

  • Só funciona para valores de 1 a 30
  • Valores de 1 a 10 são ordinais (primeiro, segundo, ... décimo)
  • Valores de 11 a 30 são cardinais (onze, doze, ..., trinta)
  • Geralmente a numeração em lower case funciona, mas para prevenir usar sempre upper case. (pelo menos "i" e"x" não funcionam)
  • Funciona no formato "R. <romano>" para expandir para "Rua Primeira" até "Rua Trinta", no feminino.
  • Não funciona nos outros prefixos, nomeadamente "Av.", "Tv.", "Al.", etc.
  • Funciona se usado logo de seguida de certos nomes, independentemente do inicio: "Av. João XXI", "R. Dom João XXI"
  • Nomes masculinos que funcionam: "Afonso", "Sancho", "Pedro", "João", "Manuel", "Henrique", "Luís", "Carlos", "Dinis", "Dinís", "Diniz", "Fernando", "Duarte", "Sebastião", "Filipe", "Miguel", "Luis", "José", "Francisco", "Amadeu".
  • Nomes femininos que funcionam: "Maria", "Joana", "Isabel"

Em Falta

Na seguinta lista encontram algumas abreviações em falta que serão futuramente introduzidas na lista de abreviações.

Nome Abreviação A Evitar TTS Nota
Loteamento Lot. - PT -
Arquiduque - - PT -
Arquiduquesa - - PT -
Príncipe - - PT -
Princesa - - PT -
Mercado Merc. - PT -
Hospital Hosp. - PT -

Informação Complementar

Rotas

  • Ver também: [How Waze Calculates Routes]
  • Para o cálculo das rotas, os primeiros 10 km e os últimos 10 km utilizarão todos os tipos de estrada, incluindo "Ruas secundárias" e "Ruas principais", enquanto a rota pelo meio irá utilizar apenas estradas nacionais, municipais, autoestradas e acessos (Rede Nacional) [Highways]. Pela experiência, mesmo numa rota com 10 km irá sempre tentar passar por uma estrada da rede nacional [Hihways]. Isto quer dizer que para garantir que existe uma rota entre dois pontos, terá de haver pelo menos uma via entre esses dois pontos que seja dste tipo.
  • Em rotas com mais de 10 km, o tipo de estrada conta mais para o cálculo do que nos troços abaixo de 10 km, ou seja, numa viagem grande uma autoestrada terá prioridade em relação a uma Estrada nacional ou municipal, assumindo distâncias e tráfego semelhantes. Em rotas abaixo de 10 km, o tipo de estrada é menos importante que outras variáveis, podendo portanto ser escolhido uma rota por uma estrada da rede urbana em detrimento de uma da rede nacional.
  • Nota: embora haja várias páginas no wiki que referem que "Ruas principais" também são usadas no cálculo de rotas com mais de 10 km, na prática têm-se visto que as alternativas às Autoestradas só aparecem depois de marcar as estradas nacionais.
  • No cálculo de rotas, cada nó de interligação com mais de 2 segmentos adiciona um pénalti à rota. Aparentemente, nós de interligação de 2 segmentos não afectam. Isto quer dizer que duas estradas com mais ou menos a mesma distância e tráfego, o que tiver menos nós terá mais probabilidade de ser escolhida. No caso de rotas com menos de 10 km, pode inclusive escolher uma "Rua secundária" em detrimento de uma estrada nacional/municipal. Nota: a simplificação de entroncamentos e cruzamentos para ter o número mínimo de segmentos necessários também reduz o número de nós de junção nas estradas.

Sentidos e Direcção

  • Quando um segmento está desbloqueado, o waze poderá ajustar o sentido do trânsito do segmento baseado na condução de wazers por ele. Isto quer dizer que um segmento com sentido "Desconhecido", após várias passagens, poderá passar a "Único" e inclusive a "Ambos" se houverem passagens em ambos os sentidos.
  • Caso o segmento esteja com "Ambos", o waze nunca irá alterar para "Único".
  • Caso o segmento esteja com um sentido mas o transito seja todo no outro, há a possibilidade do serviço alterar automaticamente o sentido, mas antes de o fazer aparecerá no editor um Problema no mapa automático a relatar esta situação.
* Quando um segmento está desbloqueado e as setas nos nós ainda não foram manualmente editadas, estão em modo "soft", seja soft-red ou soft-green. (pode-se usar o script de Highlights para identificar soft-turns). Isto quer dizer que um nó com um soft-red poderá passar automaticamente a soft-green após várias passagens nesse sentido.


Cálculo de Tráfego Congestionado

O report automático de segmentos com tráfego congestionado é efectuado comparando a média de velocidade do segmento vs. a média actual. Não são conhecidos os algoritmos usados para cálculo da média (período que mantêm os dados, se são médias únicas, diárias, horárias, etc.) nem a média actual (minutos, hora, quantos wazers para despoletar um alerta, etc.). No entanto é possível verificar a média actual de cada segmento e extrapolar a seguinte informação:

  • Ao fim de várias passagens o valor da média torna-se consistente e o alerta de trânsito lento torna-se relevante.
  • Quando um segmento é criado, a média é obviamente de 0, e está disponível para "munch munch". É também sabido, por experiência, que são precisas várias passagens até haver uma média e o segmento deixar de ser "munchable", e inclusivé que após uma actualização de mapas é possível que o servidor decida que a média não é significativa e segmento volte a ficar "munchable".
  • Até haver passagens suficientes e uma média real, aparentemente existe uma média inicial que é diferente para cada tipo de estrada. Aquando a média real, deixa de ser relevante o tipo de estrada - pode haver Autoestradas com média 50 km/h e até ruas secundárias com média de mais de 90 km/h, e o alerta de trãnsito automático será feito de acordo com essa média. No entanto no período inicial é possível que estradas aumentadas para nacionais, por exemplo, sejam constantemente consideradas como congestionadas mesmo com médias acima dos limites de velocidades (exemplo estradas nacionais dentro de localidades). Este problema é temporário e resolve-se com o tempo e quanto mais condutores passarem por lá.
  • Aparentemente certos tipos de segmento, e segmentos cobertos por certos tipos de locais, são imunes a alertas e a detecção de trânsito automático, exemplo são os "Estacionamentos" e "Postos de combustível".

- Segundo [o código da versão open-source ("2.x")] as médias de vias novas poderão ser: Freeway - 100km/h | Major - 75km/h | Minor - 65km/h | Ramps - 65km/h | Primary - 30km/h | Todo o resto - 20km/h

Limites de Velocidades

Portugal irá ter esta funcionalidade brevemente, para todos os utilizadores. Neste momento os editores já podem complementar os segmentos com limites de velocidade. O objectivo desta funcionalidade é alertar os condutores em excesso de velocidade durante vários metros, com a possibilidade de serem multados.

Para estarmos todas na mesma página, seguem algumas sugestões:

  • Segmentos longos : com vários sinais (pex: 70 -> 50 -> 70) no espaço de 100 metros, não vale a pena cortar o segmento, a não ser que a diferença das velocidades seja superior a 20kmh.
  • Segmentos pequenos : a aplicação waze tem atraso de um a X segundos na actualização do limite, isto poderá a ser corrigido mas devemos ter em atenção o objectivo da funcionalidade. Se o segmento já está cortado, podem alterar a velocidade, com o risco de nunca aparecer.
  • Rampas : caso haja vários limites seguidos, o ideal é manter apenas a velocidade mais longa/mais importante, evitando cortar a rampa em segmentos pequenos. Em caso de dúvida, em rampas longas e abertas, meter 60kmh e 40kmh nas rampas mais fechadas.
  • Rotundas : deve ser adicionado o limite velocidade. se há um limite a 50 metros antes, pode-se meter esse limite na rotunda, evitando assim cortar o segmento anterior [ninguém nos val multar numa rotunda por excesso de velocidade] (falta confirmar que aparece o limite quando estamos na rotunda)
  • Update Requests : quando viajam podem usar esta ferramenta WSLM - Waze Speed Limit Marker. Sejam responsáveis na sua utilização. Estes URs podem e devem ser fechados por qualquer editor mas quem os criou deve ter o cuidado de não os deixar lá ad-eternum. Se detectaram alguma falha num segmento que não conseguem editar, alertem o Area Manager da zona ou falem com alguém que tenha o nível suficiente para corrigir.

Truques e Dicas

Editor

  • Para apagar nós de um segmento, passar o rato por cima do nó e carregar em "d". Para apagar vários, manter o "d" carregado e passar o rato por cima dos vários nós.
  • Ter em atenção que a opção "allow all turns" apenas converte setas vermelhas, soft ou hard, em hard-greens, ou seja, não converte soft-greens em hard-greens, portanto deve-se sempre fazer "disallow all turns" (q) e "allow all turns" (w) e depois ajustar alguma seta que deva ser vermelha
  • Quando se selecciona um nó e as setas estão sobrepostas e difíceis de clicar, usar "s" para "separar" as setas.
  • Para procurar setas vermelhas perdidas no mapa visivel todo, usar a tecla shift-z. Ter em atenção que neste modo, alterando uma seta vermelha pode não actualizar o ecrã, portanto usar shift-z duas vezes para refrescar o ecrã.
  • A lista de keyboard shortcuts pode ser acedida via shift-? (nota: não funciona em Firefox na maioria dos teclado europeus).
  • Na lista de keyboard shortcuts, clicando numa linha pode-se alterar o shortcut para essa função.
  • Para juntar dois segmentos num único deve-se confirmar que os valores de "city" e "street" são iguais, e opcionalmente para evitar enganos, que a direcção é consistente. Há duas formas de os juntar. Pode-se seleccionar os dois segmentos e aparecerá um símbolo de uma ponte (bridge) por cima do nó. Clicando no icon irá juntar os dois segmentos, mas há que ter em atenção que o valor do nível será incrementado. A segunda forma, recomendada pois não afecta o valor do nível, é clicar no nó e usar a tecla de apagar ou o icon do caixote do lixo.
  • Ter em atenção que na versão actual do editor, quando se juntam dois segmentos, o sentido A<->B pode ficar invertido. Isto é particularmente importante no caso das rotundas, onde é importante que todos os segmentos estejam coerentes. No caso da junção via apagar o nó, o truque é apagar o nó, clicar no segmento para confirmar se o A e B estão correctos, e caso não estejam, fazer undo (ctrl/cmd-z) e repetir a operação até o A e B estarem no local correcto. É também importante tentar manter a posição do A-B correcta para evitar que segmentos fiquem marcados como reverse (cor-de-rosa no script de highlights) e afecte o cálculo das médias, pois vê-se que ao fim várias passagens certos segmento que são one-way e inclusivé estão locked contêm medias de velocidade para ambos os lados.

Cliente

  • Para activar o modo debug e reportar mais informação em caso de algum erro no cliente, abrir o menu de navegação, procurar "2##2", que irá mostrar uma caixa "debug activo" ou "debug inactivo", replicar o problema, no menu ajuda usar o "reportar logs". Depois usar o suporte ou forum ou mensagem privada para informar os developers do waze da hora GMT aproximada dos logs e qual o problema.

Waze Portugal.png Voltar à página inicial